sexta-feira, julho 22, 2005

Ecologia Organizacional

Quando falamos em modernizar o Estado falamos em reduzir a “gordura”, eliminar o desperdício, etc. Trata-se de um processo semelhante à gestão do ambiente, subordinado a princípios semelhantes de reutilização de recursos a que poderemos chamar Ecologia Organizacional. Vejamos algumas semelhanças com os princípios ecológicos:
Eficiência energética e proteção dos recursos: Economizar matéria-prima e energia tanto na fabricação, no packaging, no transporte, no uso e na eliminação.
Share-Ware e novos conceitos de exploração: Os serviços oferecidos por vários produtos, quando bem organizados, podem oferecer muito mais ganhos do que realmente oferecem. Isto porque estão a ser mal aproveitados ou aproveitados somente de forma parcial. Adquirir um meio de transporte, ao invés de um carro.
Produtos reparáveis e Up-Dating: Os produtos que tem componentes que podem ser substituídos de maneira simples estão a ser recuperados em vez de substituídos por novos produtos. A inovação tecnológica acontece em ciclos cada vez mais curtos. Um Up-Dating na Electrónica evita a fabricação de novos produtos.
Reciclagem e Ciclos fechados: Produtos e serviços são concebidos de tal maneira que todos os materiais podem ser reutilizados ou recuperados sem problemas, na cadeia de materiais.
Em resumo, o que se espera da modernização administrativa é um processo semelhante à gestão do meio físico, nomeadamente:
· Utilizar menos matéria-prima
· Consumir menos energia
· Reduzir a produção de resíduos
· Reutilizar, reciclar ou vender resíduos
Fazer de conta que se cria inovação no Estado, gastando mais de 400 milhões de euros anuais em tecnologias da informação sem retorno para a Sociedade nem para o próprio Estado, sem acautelar os resíduos (humanos, tecnológicos e organizacionais) que deixamos no caminho, não nos parece um bom princípio de gestão pública.
Nunca mais se para de criar novos organismos e alimentar novas vaidades, sem que os poderes políticos se apercebam dos “elefantes brancos” em que se estão a meter e do lastro de desperdício, redundância, paralisia e desmotivação que deixam pelo caminho.
Como na Ecologia, saibamos também aqui reutilizar recursos e evitar a redundância de iniciativas, infra-estruturas ou organismos para o mesmo fim..

1 comentário:

antonio disse...

Parabéns pela iniciativa nesta temática que tanto nos preocupa.